In Fórmula 1, Fórmula1

Com nada menos do que 24 rondas de março a dezembro, o calendário da Fórmula 1 de 2024 será o mais longo de sempre na história da categoria máxima do desporto automóvel. De facto, a temporada de F1 de 2024 terá início nas areias do Bahrein a 2 de março, terminando no espetacular cenário de Abu Dhabi a 8 de dezembro.

Regionalização do calendário da F1 2024

Uma das principais missões do organizador durante as 24 provas é, sem dúvida, a sustentabilidade (ecológica, mas também económica e de recursos humanos, dada a duração da época). É por isso que o critério aplicado é o da regionalidade: criar grandes blocos de concursos vizinhos que permitam deslocações rápidas e custos reduzidos. É precisamente devido a este princípio que o Japão é transferido para a primeira parte da temporada, com a corrida de Suzuka a 7 de abril, enquanto o Grande Prémio de Baku, no Azerbaijão, é posicionado imediatamente após Monza para fechar a tranche europeia. Interessantes são os muitos – mas necessários – triple-headers, ou seja, os três fins-de-semana consecutivos, como Espanha, Áustria e Grã-Bretanha ou o último fim de semana em Las Vegas, Lusail e Abu Dhabi.

A China também regressa ao calendário após uma ausência de cinco anos, tornando-se assim a sétima corrida no continente asiático no calendário de 2024 da F1; seis são nas Américas e 10 na Europa.

Calendário da Fórmula 1 2024

O calendário da Fórmula 1 2024

  1. março, 2 – Barém, Sakhir
  2. março, 9 – Arábia Saudita, Jeddah
  3. março, 24 – Austrália, Melbourne
  4. 7 de abril – Japão, Suzuka
  5. abril, 21 – China, Xangai
  6. maio, 5 – Miami
  7. maio, 19 – Emilia Romagna, Imola
  8. maio, 26 – Mónaco
  9. junho, 9 – Canadá, Montreal
  10. junho, 23 – Espanha, Barcelona
  11. junho, 30 – Áustria, Spielberg
  12. 7 de julho – Reino Unido, Silverstone
  13. julho, 21 – Hungria, Budapeste
  14. julho, 28 – Bélgica, Spa-Francorchamps
  15. agosto, 25 – Holanda, Zandovoort
  16. setembro, 1 – Itália, Monza
  17. setembro, 9 – Azerbaijão, Baku
  18. setembro, 22 – Singapura
  19. outubro, 10 – EUA, Austin
  20. outubro, 27 – México, Cidade do México
  21. novembro, 3 – Brasil, São Paulo
  22. novembro, 23 – Las Vegas
  23. dezembro, 1 – Qatar, Lusail
  24. dezembro, 8 – Abu Dhabi, Yas Marina

Desafios e oportunidades

As duas primeiras corridas de Barém e Arábia Saudita será realizada no sábado em vez de no domingo para permitir a celebração adequada das festividades da Ramadão, que começam precisamente para o mundo islâmico Domingo, 10 de marçono rescaldo do Grande Prémio de Jeddah (para permitir uma logística segura, a corrida no Bahrein, prevista para o fim de semana anterior). Este é apenas um dos muitos sinais da extraordinária internacionalização do Circus e da relevância que a série de topo sobre quatro rodas tem para um público cada vez mais vasto.

A explosão americana, devido a Drive to Survive, mas não só, está a obrigar a FIA e os vários organismos de gestão a gerirem sabiamente o grande apetite pela F1 nas estrelas e riscas, mas em geral em toda a América do Norte. O México, o Canadá e os Estados Unidos contam com cinco concursos no total: um número impressionante para um mercado que está a crescer rapidamente, mas cujos possíveis limiares de saturação são ainda difíceis de compreender.

Para
patrocinadores
e as marcas envolvidas no campeonato, o calendário muito longo da F1 2024 é uma óptima oportunidade para garantir ainda mais notoriedade e possibilidades adicionais de envolvimento. O encurtamento progressivo da pausa de inverno, agora reduzida a apenas três meses, evita que o desporto perca atualidade e garante uma cobertura mais extensa ao longo de todo o ano civil, favorecendo mais uma vez os investidores, os parceiros e o público apaixonado.

Por outro lado, um campeonato desta dimensão constitui um desafio económico, de engenharia, de organização e humano de grande envergadura e será interessante ver como as equipas, os pilotos e o pessoal irão lidar com uma campanha de cerca de 10 meses em que há muito poucas paragens e a famosa pausa de verão está agora reduzida a pouco mais de três semanas.

Ambições e confirmações

Tudo considerado, é evidente que o calendário de Fórmula 1 de 2024 é mais uma confirmação, se é que alguma vez foi necessário, do estado de graça do campeonato. Uma época desta envergadura só é possível se for sustentada por um sólido entusiasmo geral e pela certeza de umaorganização de primeira ordem nos quatro cantos do mundo. As numerosas lotações esgotadas registadas pela série nos últimos dois anos são o sinal de um desporto saudável e que ainda pode dar-se ao luxo de crescer, ultrapassando as fronteiras temporais, mesmo antes das geográficas. Embora seja verdade que os circuitos antigos e novos querem a Fórmula 1, é preciso dizer que há apenas algumas semanas disponíveis e as exigências logísticas são rigorosas. As ambições e as possibilidades estão a ser habilmente doseadas por Domenicali e a sua equipa, que têm em mãos a segunda liga desportiva mais prestigiada do mundo em termos de alcance e popularidade.

Podemos ajudá-lo a assinar o seu melhor acordo de patrocínio?

Emanuele Venturoli
Emanuele Venturoli
Licenciado em Comunicação Pública, Social e Política pela Universidade de Bolonha, sempre foi apaixonado por marketing, design e desporto.
Recent Posts

Leave a Comment

Max Verstappen
las vegas F1