In Fórmula 1, Marketing Desportivo, Patrocínios desportivos

A importância do patrocínio dos desportos motorizados (Fórmula 1, MotoGP, FórmulaE, WEC, WSBK) para as empresas B2B não pode ser subestimada. Deixe-me dizer-lhe porque é que estas disciplinas são as melhores para trabalhar para aumentar as suas vendas.

La patrocínio de desportos motorizadosnomeadamente disciplinas de grande visibilidade como a Fórmula 1, o MotoGP, o Fórmula E, o Campeonato Mundial de Resistência (WEC) e o Campeonato Mundial de Superbike (WSBK), oferece uma oportunidade única e atractiva para as empresas B2B que procuram aumentar as vendas e a visibilidade global da marca.

Estes campeonatos não só oferecem a emoção e o entusiasmo típicos dos desportos motorizados, como também são, acima de tudo, plataformas poderosas para as empresas que pretendem envolver emocionalmente os seus clientes.

O desporto automóvel traz consigo valores de inovação, fiabilidade, alta tecnologia e desempenho, para citar apenas alguns, que são também característicos de muitas empresas que operam no B2B. Esta afinidade e partilha de valores permite às empresas parceiras promoverem as suas marcas, produtos e serviços de forma coerente. Em muitos casos, os produtos dos parceiros são utilizados pelas equipas, contribuindo assim eficazmente para a sua atividade e, num mundo onde cada cêntimo conta e se procura sempre uma vantagem competitiva, tanto na pista como na gestão geral, a adoção de um produto significa a sua validade. De facto, há um endosso que não vem da mera exposição da marca, mas da utilização direta pelas equipas, a comunicação é reforçada pela autenticidade da parceria.

patrocínio b2bEis em pormenor porque é que a colaboração com estas disciplinas do desporto automóvel pode ser particularmente benéfica para as empresas B2B:

  1. Exposição global e visibilidade da marca

Desportos motorizados como a Fórmula 1 e o MotoGP gozam de uma audiência global, com corridas que se realizam em vários países ao longo do ano. Esta presença internacional dá aos patrocinadores uma exposição sem precedentes, permitindo que as empresas B2B apresentem as suas marcas a um público global. A vastidão desta exposição pode aumentar significativamente o conhecimento e o prestígio da marca, o que também é crucial para as empresas que operam no sector B2B.
Este tópico pode certamente parecer mais apropriado para operações B2C, mas não se deve esquecer que com visibilidade e notoriedade vem também a autoridade.

  1. Dados demográficos do público-alvo

O público destes desportos é heterogéneo e inclui uma elevada concentração de decisores empresariais e de indivíduos com elevado património líquido. Isto torna-os uma plataforma ideal para as empresas B2B que pretendem direcionar os seus esforços de marketing para um grupo demográfico difícil de alcançar através dos canais de marketing tradicionais. A participação no patrocínio de desportos motorizados também cria oportunidades de estabelecimento de contactos mais directos e pessoais com potenciais clientes e parceiros comerciais que participam nestes eventos.

  1. Inovação e tecnologia em destaque

Os desportos motorizados, em especial a Fórmula 1, a Fórmula E e o WEC, estão navanguarda da inovação tecnológica no domínio da engenharia automóvel e da sustentabilidade. As empresas B2B que lidam com tecnologia, componentes, soluções de sustentabilidade, software e serviços podem aproveitar as oportunidades de patrocínio para apresentar os seus produtos. Demonstrar a eficácia de uma tecnologia no ambiente de alto rendimento destes desportos, em que até um centésimo de segundo conta, pode servir de prova da capacidade de inovação de uma empresa.

  1. Oportunidades de criação de redes empresariais

Os eventos desportivos motorizados não são apenas corridas, mas também encontros de personalidades importantes dos sectores comercial, automóvel, tecnológico e empresarial em geral. Na passerelle foram vistas desde celebridades de Hollywood a grandes capitães da indústria, como Jeff Bezos, Elon Musk, Bill Gates, Jaki Elkann, etc. etc. Este ambiente é ideal para o networking e permite às empresas B2B construir relações valiosas com potenciais clientes, fornecedores e parceiros. Muitos acordos e colaborações são feitos nos paddocks e nas áreas de hospitalidade dos hipódromos em todo o mundo, onde uma paixão partilhada pelo desporto se torna frequentemente o quebra-gelo entre as partes.

  1. Marketing de conteúdos e narração de histórias

O mundo dinâmico e visualmente atraente dos desportos motorizados oferece às empresas que visam outros negócios um conteúdo interessante para utilizar nas suas actividades de marketing. Através da narração de histórias, as empresas podem alinhar as suas marcas com os valores de determinação, inovação, trabalho de equipa e sucesso encarnados pelo desporto automóvel. Este conteúdo pode ser utilizado em várias plataformas, incluindo as redes sociais, para envolver o público e criar uma imagem de marca mais humana e relacionável. Algumas categorias estão, por natureza, destinadas a ser menos visíveis, estou a pensar, por exemplo, nos rolamentos, nos cabos de ligação de todos os aparelhos electrónicos, no equipamento de alta tecnologia necessário para produzir o automóvel, etc., que, apesar de serem muito importantes, vivem debaixo da pele do automóvel e precisam de ser contados… bem, todas as categorias do desporto automóvel oferecem essa possibilidade.

  1. Envolvimento dos trabalhadores e orgulho empresarial

O facto de estar associado a eventos desportivos motorizados de prestígio pode aumentar o moral dos empregados e promover um sentimento de orgulho no local de trabalho. A comunicação interna é tão importante como a comunicação externa. Este benefício interno pode traduzir-se num aumento da produtividade e na defesa da marca dentro da empresa.

Alguns exemplos: os casos da Cognizant, Salesforce, SentinelOne e DHL

As parcerias entre a Salesforce e a Fórmula 1 e entre a Cognizant e a Aston Martin representam alianças estratégicas que vão para além do mero patrocínio. São emblemáticos da forma como as marcas B2B estão a explorar as plataformas desportivas de alto nível para um envolvimento mais profundo e para mostrar as suas proezas tecnológicas. Salesforce e Fórmula 1: O patrocínio da Salesforce à Fórmula 1 faz parte de uma estratégia mais alargada de envolvimento com parceiros de todo o ecossistema tecnológico, incluindo AWS, Zoom e Workday. Esta parceria permite à Salesforce apresentar as suas capacidades de CRM e de nuvem a um público global, tirando partido da popularidade e da visibilidade global da Fórmula 1 para demonstrar como a tecnologia pode melhorar a experiência dos fãs (por exemplo, #Driveroftheday powerd by Salesforce) e a eficiência operacional.

Cognizant e Aston Martin: A parceria da Cognizant com a Aston Martin é um excelente exemplo de uma empresa B2B que se imerge no mundo do desporto para trazer avanços tecnológicos tangíveis. A parceria entre a Aston e a Cognizant vai além da marca, desempenhando um papel fundamental para ajudar a equipa a competir ao mais alto nível da Fórmula 1, tirando partido dos seus serviços de consultoria de TI e de transformação digital.

SentinelOne e Aston MartinCito aqui o que está publicado no seu sítio Web sentilenone.com “Tal como as corridas, a cibersegurança está em constante evolução. Os desafios de hoje não têm nada a ver com os de amanhã. Na SentinelOne, fornecemos às empresas uma tecnologia que pensa, aprende e defende cada ataque, a cada segundo de cada dia. Acreditamos que é importante estar livre de ameaças cibernéticas, e é por isso que colaboramos com a Aston Martin Cognizant Formula One™ Team. Quando se está livre de ameaças, tem-se a liberdade de se concentrar numa coisa: estar à frente do jogo.”
Nesta afirmação está tudo.

E quanto a DHL e Fórmula 1 tente digitar as duas palavras e irá encontrar uma ligação que diz: Fórmula 1 entregue pela DHLMais uma vez, não há melhor aval do que poder afirmar que há mais de 20 anos que a DHL transporta todo o equipamento e torna possível a realização do evento tal como o conhecemos, 24 vezes por ano em 10 meses.

Para concluir

As extraordinárias parcerias B2B no desporto automóvel demonstram o poder das alianças estratégicas entre empresas e o mundo das corridas. Estas operações não se limitam à colocação do logótipo nos automóveis, mas envolvem frequentemente colaborações tecnológicas profundas, plataformas de inovação partilhadas e amplas oportunidades de criação de redes que beneficiam ambas as partes envolvidas.

A decisão de patrocinar uma equipa ou um evento de desporto automóvel não deve ser tomada de ânimo leve. É necessária uma abordagem estratégica para garantir que o patrocínio está em conformidade com os objectivos de marketing e os clientes da empresa. No entanto, se for feito corretamente, o patrocínio de desportos motorizados pode proporcionar benefícios significativos, incluindo a exposição global da marca, oportunidades de ligação em rede direccionadas e a possibilidade de mostrar inovação e tecnologia.
Em última análise, estes benefícios ajudam a reforçar a presença da marca e, mais importante ainda, a aumentar as vendas e o crescimento da empresa.

O crescimento das marcas B2B na Fórmula 1 na época de 2024 mostra que as grandes marcas adoptaram o conceito e sublinha a importância e o potencial da colaboração entre o desporto automóvel e as empresas B2B.

Estas parcerias incluem frequentemente elementos como:

  • Desenvolvimento de tecnologia em colaboração, em que um fornecedor contribui com tecnologias ou materiais de ponta, apresentando as suas capacidades num palco global.
  • Oportunidades de hospitalidade e de criação de redes, oferecendo experiências únicas aos clientes e às partes interessadas em eventos para melhorar a criação de relações e o envolvimento dos clientes.
  • Marketing de conteúdos, para criar histórias e conteúdos atractivos que realcem o valor e a inovação da parceria.
Podemos ajudá-lo a assinar o seu melhor acordo de patrocínio?

Riccardo Tafà
Riccardo Tafà
Riccardo nasceu em Giulianova, licenciou-se em Direito na Universidade de Bolonha e decidiu fazer outra coisa. Depois de uma passagem pelo ISFORP (instituto de formação em relações públicas) em Milão, mudou-se para Inglaterra. Começou a sua carreira em Londres na área das relações públicas, primeiro na MSP Communication e depois na Counsel Limited. Depois, seguindo a sua paixão doentia pelo desporto, mudou-se para a SDC de Jean Paul Libert e começou a trabalhar em veículos de duas e quatro rodas, isto em 1991/1992. Seguiu-se uma breve mudança para o Mónaco, onde trabalhou com o proprietário da Pro COM, uma agência de marketing desportivo fundada por Nelson Piquet. Regressou a Itália e começou a trabalhar na primeira pessoa como RTR, primeiro uma empresa de consultoria e depois uma empresa de marketing desportivo. 
Em 2001, a RTR ganhou o prémio ESCA para o melhor projeto de marketing desportivo em Itália no ano 2000. Entre outras coisas, a RTR obteve a pontuação mais elevada entre todas as categorias e representou a Itália no concurso europeu da ESCA. A partir desse momento, o RTR deixou de participar noutros prémios nacionais ou internacionais. Ao longo dos anos, tem alguma satisfação e engole muitos sapos. Mas continua aqui, a escrever de forma desencantada e simples, com o objetivo de dar conselhos práticos (não solicitados) e motivos de reflexão.
Recent Posts

Leave a Comment

Patrocínio de desportos motorizados e eficácia B2B, RTR Sports
Patrocínio de desportos motorizados e eficácia B2B, RTR Sports