In Fórmula 1

Muito mais do que um patrocínio de título, o acordo de parceria entre a Scuderia Ferrari e a HP é mais uma peça num puzzle de marketing que o Cavalo Empinado tem vindo a construir com cuidado e precisão há já algum tempo. O gigante da tecnologia -HP é o segundo maior produtor mundial de computadores pessoais- aparecerá no carro de Maranello de Grande Prémio de Miami e continuará a ser o patrocinador principal da Scuderia durante pelo menos dois anos, a valores de mercado que não foram revelados mas que são certamente multimilionários. O acordo envolve também, sem surpresas, a Esport Team e o carro conduzido por Maya Weug na F1 Academy: dois activos de comunicação que a empresa de Palo Alto não queria perder.

Patrocínio do título

A Scuderia não tinha um patrocinador principal desde a Mission Winnow, a iniciativa de marketing e comunicação posta em prática pelo parceiro histórico Philip Morris que contornou – embora parcialmente – os regulamentos de patrocínio do tabaco. Graças ao acordo atual, a Ferrari correrá sob o nome de Scuderia Ferrari HPUm nome que não deixou de despertar a curiosidade, o interesse e os elogios de várias comunidades online, que se apressam a lembrar que “HP”, para além de ser um acrónimo de “Hewlett-Packard”, é mais conhecido no mundo das corridas como uma abreviatura de Cavalos de potência, uma unidade de medida do desempenho de um motor.

O vermelho e o azul

Há algum tempo, a Ferrari já tinha anunciado a sua intenção de correr em Miami com uma nova pintura azul, mostrando mesmo uma antevisão dos belos fatos azuis criados para a ocasião para LeClerc, Sainz e toda a equipa. O azul claro, lê-se em algumas notas de imprensa que circularam nos últimos dias, era uma das cores preferidas de Enzo Ferrari (nos últimos 30 anos, o Drake tem tido as mais diversas preferências de cor para justificar mais ou menos qualquer ação de marketing), bem como uma cor histórica da Scuderia que correu nos anos 60 com Surtees, Amon e Bandini.

No entanto, sem querer ser malicioso, a cor azul escolhida para Miami assume um significado especial após o anúncio da parceria entre a Ferrari e a HP, cujo logótipo é, de facto, azul. Na pista da Flórida, os dois carros de Maranello ostentarão pela primeira vez o grande logótipo da HP numa pintura azul que se tornará um clássico instantâneo para o mundo do marketing desportivo e uma oportunidade imperdível de relações públicas e fotografias.

Inovação, sustentabilidade e a importância de uma parceria na Fórmula 1

Inovação, sustentabilidade, paixão e investigação são as palavras que percorrem os comunicados de imprensa que lançam a parceria, como é natural e correto. Num mundo de alta tecnologia como a Fórmula 1, um fabricante de computadores está perfeitamente posicionado e representado. Muito provavelmente, embora não seja o foco do acordo, a HP também se tornará um importante aliado de Maranello em toda a frente de equipamentos técnicos, desenvolvimento de software e inovação em geral. A sustentabilidade – um tema caro tanto à tecnologia como ao sector automóvel e sobre o qual ambas as indústrias estão a receber uma forte pressão – é também uma chave para este patrocínio, afirma.

No entanto, e para sermos claros, é impossível não colocar a extraordinária centralidade da Fórmula 1 na arena do marketing moderno e da popularidade global entre as “razões” deste acordo. O Circo é, para todos os efeitos, uma plataforma de comunicação extraordinária – tal como os Jogos Olímpicos e muito poucas outras propriedades no mundo – à qual as marcas não se podem dar ao luxo de não se associar. Neste aspeto, a Ferrari é certamente e sempre foi a joia mais brilhante da coroa, se não nas pistas de corrida, pelo menos em termos de marketing.

Lewis HP

Finalmente, o elemento Hamilton não deve ser deixado de fora da equação. Anunciado ao lado de Charles LeClerc a partir da próxima temporada, o britânico não é apenas um dos pilotos mais bem sucedidos da Fórmula 1, mas também um dos mais seguidos do mundo. A sua assinatura, que fez disparar o preço das acções da Cavallino, tem ainda mais repercussões a nível de marketing do que desportivo, em parte graças ao ativismo determinado do piloto em muitas das causas mais debatidas nos últimos anos. Hamilton será, sem dúvida, o centro das atenções, trazendo obviamente consigo todo o mundo Ferrari à sua volta, incluindo os patrocinadores. Também isto não deve ser subestimado.

Podemos ajudá-lo a assinar o seu melhor acordo de patrocínio?

Emanuele Venturoli
Emanuele Venturoli
Licenciado em Comunicação Pública, Social e Política pela Universidade de Bolonha, sempre foi apaixonado por marketing, design e desporto.
Recent Posts

Leave a Comment

Ferrari F1, título de patrocínio com a HP: azul, inovação, amanhã, RTR Sports